Maior jornal da Alemanha diz que 'lockdown foi um grande erro'

Bild é o jornal mais vendido na Europa e ouviu vários críticos à resposta oficial do país
  • Por Redação
  • 12 mai, 2020

Bild, que é o jornal mais vendido da Europa, anunciou no último fim de semana que o bloqueio da economia (Lockdown) imposta pelo país em resposta à pandemia do vírus chinês foi um "grande erro" e cita críticos à resposta oficial alemã.

Veja alguns deles:

O professor Klaus Püschel, um patologista respeitado e chefe do Instituto de Medicina Forense do Hospital Universitário de Hamburgo, argumentou que “no final, o COVID-19 é uma doença viral como a gripe, que na maioria dos casos é inofensiva e é fatal apenas em casos excepcionais."

É importante observar as consequências da epidemia para ver se o COVID-19 realmente foi a causa da morte”, destaca Püschel. “Dos aproximadamente 180 falecidos com coronavírus que examinamos agora, todos sofriam de condições pré-existentes graves e não eram crianças ou adolescentes..."

O professor Stefan Homburg, da Universidade de Hannover, ex-conselheiro do governo federal, concorda que, tendo em vista os números oficiais na Alemanha, não há justificativa para o lockdown.

"Na Itália, a epidemia de coronavírus foi pior do que uma epidemia de gripe, na Alemanha foi menos grave", disse Homburg. "Com o bloqueio, os governos federal e estadual cometeram um grande erro."

"Os danos estão aumentando todos os dias, todas as proibições devem ser levantadas imediatamente", continuou. "Estádios de futebol vazios e restaurantes meio vazios não servem para ninguém."

O professor Hans-Jürgen Papier, ex-presidente do Tribunal Constitucional Federal, criticou a falta de debate sobre o assunto e que as intervenções por parte do estado foram longe demais. 

"O equilíbrio estava entre a proteção da vida e da saúde, por um lado, e a proteção dos bens constitucionais, por outro", disse ele. "Deveria ter havido um debate parlamentar e público mais amplo e detalhado. Para esse fim, os bens legais a serem pesados ​​eram muito importantes e as consequências e intervenções muito grandes.

As informações são da Breitbart News