Contra doutrinação de esquerda nas escolas, Trump cria comissão para promover educação patriótica: 'Vamos recuperar nossa história'

O presidente americano destacou que a crescente radicalização de extrema esquerda nos Estados Unidos, com apoio de políticos e grandes corporações, é o resultado de “décadas de doutrinação da esquerda em nossas escolas”
  • Por Redação
  • 18 set, 2020

(Donald Trump durante a Conferência da Casa Branca sobre a história americana no National Archives Museum em Washington. 17/9/2020. Foto: Alex Brandon / AP)

Nessa quinta-feira (17), o  presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou a criação da "Comissão de 1776" para promover o patriotismo na educação americana como parte dos esforços do governo para combater a agenda da extrema esquerda de tentar reescrever a história do país. 

Nossa missão é defender o legado da fundação da América, a virtude dos heróis da América e a nobreza do caráter americano”, disse Trump durante Conferência da Casa Branca sobre História Americana, sediada no National Archives Museum. “Devemos limpar a teia distorcida de mentiras em nossas escolas e salas de aula, e ensinar a nossos filhos a magnífica verdade sobre nosso país.  Queremos que nossos filhos e filhas saibam que são os cidadãos da nação mais excepcional da história do mundo.

O presidente americano destacou ações da extrema esquerda nos últimos meses, como ataques a monumentos e estátuas de personalidades históricas do país, defesa de ações violentas e desprezo à lei, queima de bandeiras americanas, cultura do cancelamento e guerras raciais (como a Teoria Crítica da Raça, de origem marxista, que afirma que todos americanos são racistas e que até crença em Deus e família nuclear são aspectos da “brancura”), ações que visam uma revolução fazendo com que, primeiramente, os americanos “percam a confiança” em quem são, de onde vieram e no que acreditam. 

Trump lembrou que todas essas ações, com apoio dos políticos de esquerda e grandes corporações, é resultado de “décadas de doutrinação da esquerda em nossas escolas”. 

Estamos aqui hoje para declarar que nunca nos submeteremos à tirania.  Recuperaremos nossa história e nosso país para os cidadãos de todas as raças, cores, religiões e credos”, acrescentou.