EUA: Juíza progressista da Suprema Corte morre de complicações de câncer e abre vaga para indicação de Trump

Com a morte de Ruth Bader Ginsburg, o presidente dos EUA Donald Trump tem a chance de expandir ainda mais a maioria conservadora na corte nos próximos dias
  • Por Redação
  • 18 set, 2020

Nesta sexata-feira (18), a juíza da Suprema Corte dos Estados Unidos, Ruth Bader Ginsburg, morreu após complicações decorrentes de um câncer. 

Ginsburg, progressista e ícone feminista de 87 anos, morreu em sua casa em Washington, cercada pela família. 

Em um ano já quente devido às eleições de novembro, a temperatura da política americana tende a aumentar com a morte de Ginsburg, dando aos republicanos a chance de, nos próximos dias, aumentar ainda mais o controle da corte com mais uma indicação de Trump, de forma que os conservadores tenham a maioria de 6 a 3.