Sempre cercado por seguranças armados, papa argentino ataca a posse de armas para população

Segundo o pontífice em seu discurso para ONU, é necessário "desmantelar a lógica perversa que atribui à posse de armas a segurança pessoal e social".
  • Por Redação
  • 26 set, 2020

Neste sábado (26), o papa Francisco postou em suas redes sociais trechos de seu discurso gravado para a Assembleia Geral das Nações Unidas que aconteceu nessa sexta-feira (25), sobre o desarmanento da população.

O papa argentino, que é sempre visto cercado de seguranças armados em suas aparições públicas e que conta com forte proteção em sua residência no Vaticano, afirmou que é necessário "desmantelar a lógica perversa que atribui à posse de armas a segurança pessoal e social".

O pontífice conclui, em sua aparente lógica anticapitalista, que o uso de armas para segurança pessoal e social serve apenas para "aumentar os lucros da indústria bélica" o que alimentaria "um clima de desconfiança e de medo entre as pessoas e os povos". 

"Devemos desmantelar a lógica perversa que atribui à posse de armas a segurança pessoal e social. Tal lógica só serve para aumentar os lucros da indústria bélica, alimentando um clima de desconfiança e de medo entre as pessoas e os povos", diz a publicação, em referência ao discurso na ONU.

Os comentários anti-armas do papa estão de acordo com a agenda das Nações Unidas para erradicar a posse pessoal de armas de fogo em todo o mundo, um objetivo simbolizado por uma estátua de “Arma Knotted” que fica em frente à sede da ONU em Nova York, nos Estados Unidos.