Facebook e Twitter censuram The New York Post por matéria que expõe escândalo envolvendo Joe Biden

A ação das plataformas ocorre após história bombástica trazida por um dos maiores jornais dos EUA sobre escândalo de lobby estrangeiro envolvendo o candidato de esquerda quando era vice-presidente do país
  • Por Redação
  • 14 out, 2020

Nesta quarta-feira (14), o Facebook e o Twitter censuraram o The New York Post, um dos maiores jornais dos Estados Unidos, após publicação de matéria revelando como Hunter Biden apresentou seu pai, o então vice-presidente americano Joe Biden, a um alto executivo de uma empresa de energia ucraniana um ano antes de Biden pressionar o governo da Ucrânia a demitir um promotor que estava investigando a empresa. 

As plataformas estão censurando a história bombástica do jornal por matéria sobre o escândalo de lobby estrangeiro de Joe Biden, reduzindo deliberadamente sua disseminação e alcance nas redes sociais. 

"Facebook e Twitter não são plataformas de mídia. Eles são máquinas de propaganda", afirma o The New York Post

Um dos e-mails obtidos e divulgados pelo The Post mostra um executivo de uma empresa de energia que contratou Hunter Biden para uma “consultoria” agradecendo pela reunião com Joe Biden. Porém, o próprio candidato pelo partido Democrata havia negado tal encontro.

Um dos editores do jornal, Sohrab Ahmari, comentou a censura imposta pelas redes sociais: “Isto é um golpe das Big Tech no mundo da informação. Isto é guerra civil digital. Eu, um editor do New York post, um dos maiores jornais do país, não posso postar uma de nossas próprias matérias que fala sobre corrupção por um dos principais candidatos a presidente, Biden”.

Segue o link da matéria censurada: https://nypost.com/2020/10/14/email-reveals-how-hunter-biden-introduced-ukrainian-biz-man-to-dad/

"Não podemos concluir esta solicitação porque este link foi identificado pelo Twitter ou por nossos parceiros como potencialmente prejudicial. Visite nossa Central de Ajuda para saber mais", informa o Twitter quando se tenta publicar a matéria. 

Por anos, conservadores tem denunciado as gigantes das redes sociais por censurarem publicações para favorecer candidatos e políticas de esquerda. Essa é a primeira vez que atinge uma gigante da mídia americana.