Após fala de Doria, Bolsonaro cita lei e diz que não vai haver vacinação obrigatória no país

Mais cedo, o governador de São Paulo havia afirmado que a imunização com a vacina chinesa seria obrigatória no estado e que iria tomar medidas legais contra quem se recusasse a tomar
  • Por Redação
  • 16 out, 2020

Nesta sexta-feira (16), o presidente Jair Bolsonaro reafirmou que o governo não vai obrigar os brasileiros a tomarem a vacina contra a covid-19. O presidente disse que a vacina contra a Covid-19 vai ser fornecida pelo Ministério da Saúde, mas “sem impor ou tornar a vacinação obrigatória”.

Sem mencionar o nome de Doria e citando lei, Bolsonaro afirmou que os governos estaduais poderão, com anuência prévia do Ministério da Saúde, propor medidas visando o cumprimento das vacinações, mas que o governo federal não vê a necessidade de determinar vacinação obrigatória e que não recomendará a ação por "gestores locais", deixando claro que é o governo federal quem vai decidir sobre a obrigatoriedade da vacina.

"O Ministério da Saúde irá oferecer a vacinação, de forma segura, sem açodamento, no momento oportuno, após comprovação científica e validada pela ANVISA, contudo, sem impor ou tornar a vacinação obrigatória", afirmou o presidente. 

- Covid-19/VACINAÇÃO. - Lei 13.979 de 06/fev/2020: Art 3º, inciso III: PODERÃO ser adotadas a realização...

Publicado por Jair Messias Bolsonaro em Sexta-feira, 16 de outubro de 2020

Mais cedo, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou que a vacina contra o coronavírus seria obrigatória em todo o estado e disse que adotará "medidas legais" contra as pessoas que se recusarem a tomar a vacina chinesa, se aprovada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).