VÍDEO: Bolsonaro chama Doria de 'nanico projeto de ditador' e elogia a OMS por não recomendar a vacinação obrigatória

A vice-diretora da Organização Mundial da Saúde, Mariângela Simão, afirmou que a entidade não recomenda a obrigatoriedade de aplicação de vacinas contra a covid-19, o que chamou de “medidas autoritárias”
  • Por Redação
  • 22 out, 2020

Nesta quinta-feira (22), o presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), pelas “medidas autoritárias” do tucano em tentar obrigar a vacinação contra a covid-19 e o chamou de “nanico projeto de ditador”. 

Realmente, impor medidas autoritárias, só para esses nanicos projetos de ditadores, como esse cara de São Paulo aí”, disse o presidente, reforçando seu posicionamento de que o brasileiro deve ser livre para decidir sobre sua vacinação contra a Covid-19. “Então, não ouvi dizer, e acho que vocês também, nenhum chefe de Estado do mundo dizendo que iria impor a vacina quando ela tiver. É quase uma maneira de levar terror junto à população. Até porque, impor uma vacina que não tem um certo tempo de comprovação científica, fica muito difícil.

O presidente também elogiou uma declaração da vice-diretora da Organização Mundial da Saúde (OMS), Mariângela Simão, a qual afirmou que a entidade não recomenda a obrigatoriedade de aplicação de vacinas contra a covid-19, o que chamou de “medidas autoritárias”. 

Dessa vez eu acho que estão se informando corretamente, talvez me ouvindo até”, disse Bolsonaro. “Parabéns, OMS, começaram a acertar.

A OMS defende que isso é para cada país decidir. Mas em uma situação que você está falando com adultos, que têm capacidade de discernimento para fazer escolhas informadas, não se recomenda medidas autoritárias. Até porque é difícil fiscalizar. Vai depender da situação interna de cada país, mas é de difícil implementação”, Mariângela Simão em entrevista à CNN Brasil.