Ditador venezuelano comemora escolha dos chilenos por nova constituição

Além do ditador socialista, figuras da esquerda brasileira, como Ciro Gomes e Dilma Rousseff, também festejaram resultado de plebiscito no Chile
  • Por Redação
  • 26 out, 2020

Nesse domingo (25), com 78% de aprovação, os chilenos que participaram de um plebiscito, decidiram por estabelecer uma nova assembleia constituinte no país. 

A escolha por uma nova Constituição surgiu após o Chile ceder à esquerda depois que protestos violentos organizados por revolucionários se espalharam pelo país desde outubro de 2019.  

A atual Constituição chilena da década de 1980 (época do regime militar de Augusto Pinochet), alterada várias vezes, é atacada por, segundo críticos, dar um papel limitado ao Estado e  menos “direitos sociais”, focando em iniciativas privadas, com fortes privatizações. 

O ditador da Venezuela, Nicolas Maduro, comemorou o resultado do plebiscito chileno e fez referência ao fundador do Partido Socialista do Chile, Salvador Allende Gossens, que governou o país antes de Augusto Pinochet tomar o poder. 

Meus parabéns, apreço e admiração ao povo chileno que hoje se dirigiu às ruas e aos centros eleitorais para decidir o futuro de sua Constituição e pôr fim ao pinochetismo. As grandes avenidas estão abertas para construir uma sociedade melhor. Viva o Chile! Viva Allende!”, escreveu o ditador.

A ex-presidente Dilma Rousseff e Ciro Gomes também comemoraram o resultado. A petista disse que é consequência de um "grande movimento popular de protesto contra o neoliberalismo e a repressão".