Bolsonaro diz que 'quando acaba a saliva, tem que ter pólvora' ao defender a soberania do Brasil sobre Amazônia

O presidente também afirmou que não é preciso "usar a pólvora", mas "precisa saber que tem"
  • Por Redação
  • 10 nov, 2020

Nesta terça-feira (10), o presidente Jair Bolsonaro disse que “quando acabar a saliva, tem que ter pólvora” ao comentar sobre as ameaças estrangeiras em relação à soberania do Brasil sobre a Amazônia. Bolsonaro lembrou das ameaças do candidato de esquerda à casa Branca, mas destacou que não seria preciso "usar a pólvora", mas que era necessário mostrar que temos. 

Assistimos há pouco um grande candidato à chefia de Estado dizer que, se eu não apagar o fogo da Amazônia, levanta barreiras comerciais contra o Brasil. E como nós podemos fazer frente a tudo isso? Apenas a diplomacia não dá, né Ernesto?”, disse o presidente, direcionando-se ao ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.
Porque, quando acabar a saliva, tem que ter pólvora. Se não, não funciona. Precisa nem usar a pólvora, mas precisa saber que tem".

Durante participação do evento da cerimônia de lançamento da Retomada do Turismo, o presidente também reafirmou posições sobre "livre mercado" e apoio à retomada da economia.