Por ordem de Alexandre de Moraes, jornalista Oswaldo Eustáquio é alvo de mandado de prisão domiciliar e usará tornozeleira

Em seu Twitter, Oswaldo afirmou que as razões para sua prisão foram as denúncias contra o candidato do PSOL à prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos
  • Por Redação
  • 17 nov, 2020

Nesta terça-feira (17), a mando do ministro do STF Alexandre de Moraes, o jornalista conservador Oswaldo Eustáquio foi alvo de mandado de prisão domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica e de busca e apreensão pela Polícia Federal. 

A decisão de Moraes acontece após o jornalista ter divulgado um vídeo com acusações ao candidato do PSOL à prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos. 

Em seu Twitter, Oswaldo afirmou que as razões para sua prisão foram as denúncias contra o presidente do PSL, Luciano Bivar PSL, e do candidato Guilherme Boulos. "O jornalista Oswaldo Eustáquio explodiu o laranjal de Bivar e de Boulos. Por isso foi preso: por crime de opinião!", afirmou.

Segundo Moraes, a ação teria sido tomada após o jornalista ter descumprido as restrições impostas após sua soltura no meio deste ano, depois de ser investigado por suspeita de auxiliar na organização de supostos atentados contra as instituições ou atos “antidemocráticos”.

Julgando o que é ou não notícia falsa, o ministro também disse que o jornalista "foi autor de inúmeras fake news em que imputou crimes a candidato a prefeito da cidade de São Paulo".

Impedido de frequentar as redes sociais, em data recente, o investigado desrespeitou a ordem judicial e foi autor de inúmeras fake news em que imputou crimes a candidato a prefeito da cidade de São Paulo, sendo necessária ordem judicial da 2ª Zona Eleitoral de São Paulo para retirada do conteúdo”, escreveu Moraes sobre denúncias feitas pelo jornalista contra o candidato do Psol à prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos.