Argentina: Governo de esquerda consegue legalizar o aborto no senado do país

A nova legislação, que permitirá o aborto em qualquer gestante até a 14ª semana de vida do bebê, segue para sanção do presidente Alberto Fernández, autor do projeto
  • Por Redação
  • 30 dez, 2020

Na madrugada desta quarta-feira (30), o senado da Argentina aprovou o projeto de lei do governo de esquerda do presidente Alberto Fernández para a legalização do aborto nas primeiras 14 semanas de vida do bebê. 

A proposta, que havia sido aprovada pela Câmara dos Deputados em 11 de dezembro, obteve 38 votos a favor, 29 contra.

"O aborto seguro, legal e gratuito é lei. Foi o que prometi durante a campanha eleitoral", escreveu o presidente argentino em sua conta no Twitter após a aprovação no Senado.

Atualmente, o aborto na Argentina já era permitido em casos de estupro e risco de morte para a mulher. 

Agora o projeto segue para sanção do presidente Alberto Fernández, autor do projeto. 

Grupos feministas comemoraram a decisão em manifestações em frente ao senado.