CEO da Parler, John Matze, diz que está recebendo ameaças de morte: 'Não posso ir para casa hoje à noite'

Parler, uma alternativa poderosa ao Twitter, alcançou uma grande adesão nos últimos dias depois que Trump teve sua conta no Twitter excluída e outras gigantes da mídia social iniciaram uma onda de censura contra contas dele e de outros conservadores
  • Por Redação
  • 13 jan, 2021

Nessa segunda-feira (11), o CEO da Parler, John Matze, afirmou que está recebendo ameaças de morte e "não pode ir para casa esta noite" após sua empresa de mídia social ter sido removida da Google Play Store, App Store da Apple e removida dos serviços de hospedagem na web da Amazon.

"É nojento. Pessoas ameaçando minha vida. Não posso ir para casa esta noite... Isso não é apenas, você sabe, nossas liberdades civis. Eles podem fechar uma ... empresa de meio bilhão de dólares ... durante a noite”, disse Matze à Fox News durante o programa Tucker Carlson Tonight. 

A rede social Parler, uma alternativa poderosa ao Twitter, alcançou uma grande adesão nos últimos dias depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, teve sua conta no Twitter excluída e outras gigantes da mídia social iniciaram um grande caçada de censura contra contas dele e de outros conservadores. 

Matze também disse que achou "muito interessante" que todas as ações contra sua empresa ocorreram no mesmo dia e "sem qualquer aviso prévio". 

"Estaremos online novamente um dia. E esperançosamente logo, o mais rápido possível. Mas este é um verdadeiro desafio. Temos que construir nossa própria infraestrutura - tudo nosso para fazer isso”, acrescentou.