Como esperado, Câmara dos EUA, dominada pela esquerda, aprova impeachment de Donald Trump pela segunda vez

Sem apresentação de provas, Trump foi formalmente acusado de "incitar a violência" em referência à invasão do Capitólio na semana passada. O pedido agora segue para o Senado, de maioria conservadora
  • Por Redação
  • 13 jan, 2021

Nesta quarta-feira (13), a Câmara dos Estados Unidos aprovou (221 votos a favor e 192 votos contra) pela segunda vez a tentativa de impeachment do presidente Donald Trump. Dominado pela esquerda, o resultado já era esperado, e agora o afastamento definitivo de Trump depende do Senado, de maioria conservadora. 

Sem apresentar provas, o pedido de afastamento acusa Trump formalmente de "incitação à insurreição" e de "incitar a violência" em referência à invasão do Capitólio na semana passada.

"Não se engane, a esquerda na América incitou muito mais violência política do que a direita.

Durante meses, nossas cidades foram incendiadas, delegacias de polícia incendiadas, nossos negócios foram destruídos e eles não disseram nada...

ELES ACENDERAM CHAMAS REAIS, INCÊNDIOS REAIS", afirmou o membro da Câmara Matt Gaetz, durante o seu voto. 

Em discurso de abertura dos debates, a presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, chamou Trump de um "perigo para o país".

Ao contrário do que a grande mídia e a esquerda dizem, momentos antes da invasão e violência, que deixou 5 mortos, o presidente americano, em seu discurso, pediu para que a multidão fosse manifestar "pacificamente e patrioticamente" para "fazerem suas vozes ouvidas". Após os eventos, Trump, que sempre teve como um dos lemas de governo a "lei e a ordem", fez várias declarações oficias condenando atos de violência e vandalismos.