Bolsonaro defende liberdade e diz que as Forças Armadas impedem uma ditadura socialista no Brasil

"Qual o bem maior nosso? É a liberdade. Sem liberdade não tem vida", afirmou o presidente
  • Por Redação
  • 18 jan, 2021

Nesta segunda-feira (18), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que as Forças Armadas são as responsáveis por impedir que o país viva uma ditadura socialista. O chefe do Executivo disse que as Forças Armadas foram “sucateadas” como parte de um objetivo de implementar o regime socialista no Brasil.

O presidente também voltou a dizer que seu governo está há dois anos sem corrupção e reiterou críticas ao governo do ditador venezuelano Nicolás Maduro.

"Agora se fala que a Venezuela está fornecendo oxgênio para Manaus. É a White Martins, é uma empresa muti-nacional que está lá também. Agora, se o Maduro quiser fornecer oxigênio para nós, sem problema nenhum. Agora, ele poderia dar auxílio emergencial para o seu povo também, né? O salário mínimo lá não compra nem um quilo de arroz. Não tem mais cachorro lá. Por que será? Uma peste? Comeram os cachorros todos. E vem uns idiotas elogiando, 'olha o Maduro, um coração grande ele tem'", disse o presidente. 

O pessoal parece que não enxerga o que o povo passa, pra onde querem levar o Brasil, para o socialismo. Por que sucatearam as forças armadas ao longo de 20 anos? Porque nós, militares, somos o último obstáculo para o socialismo”, afirmou Bolsonaro para apoiadores na saída do Palácio da Alvorada. “Quem decide se o povo vai viver em uma democracia ou ditadura são as suas Forças Armadas. Não tem ditadura onde as Forças Armadas não a apoiam”.

Em referência a possível eleição do "poste" do ex-presidiário Lula, Fernando Haddad (PT), Bolsonaro afirmou ainda que “temos liberdade ainda”, mas “tudo pode mudar”.

No Brasil, temos liberdade ainda. Se nós não reconhecermos o valor destes homens e mulheres que estão lá, tudo pode mudar. Imagine o Haddad no meu lugar. Como estariam as Forças Armadas com o Haddad em meu lugar?”, questionou Bolsonaro.

"Qual o bem maior nosso? É a liberdade. Sem liberdade não tem vida" acrescentou.