Biden assina decreto que pressiona escolas a incluir atletas transgêneros nos esportes femininos

As escolas americanas que não cumprirem a nova ordem correm o risco de perderem verbas e financiamentos federais
  • Por Redação
  • 22 jan, 2021

Já no primeiro dia do seu governo, Joe Biden assina uma ordem executiva que pressiona escolas americanas a permitirem que atletas transgêneros participem do esporte de sua identidade de gênero, por exemplo, uma pessoa nascida biologicamente homem poderá participar de esportes femininos. 

O presidente de esquerda argumenta que a decisão seria para "prevenir e combater a discriminação com base na identidade de gênero ou orientação sexual".  As escolas que não cumprirem a nova ordem correm o risco de perderem verbas federais. 

As crianças devem poder aprender sem se preocupar se não terão acesso ao banheiro, ao vestiário ou aos esportes escolares”, também diz o novo despacho , divulgado no primeiro dia de sua presidência. 

A jornalista e defensoras dos direitos das mulheres Abigail Shrier escreveu no Twitter: "No dia 1, Biden eviscera unilateralmente os esportes femininos. Qualquer instituição educacional que receba financiamento federal deve admitir atletas biologicamente masculinos para times femininos, bolsas femininas, etc. Um novo teto de vidro foi colocado sobre as meninas". 

Erielle Davidson, do Instituto Judaico de Segurança Nacional da América, escreveu: "Dia triste para os esportes femininos. As mulheres devem competir contra os machos biológicos correndo o risco de lesões e perda do título, graças a uma nova ordem executiva Biden. Nunca me diga que isso é 'pró-mulher'. Não é. É destrutivo e malicioso."