Biden comemora 48º aniversário da decisão Roe vs. Wade, que matou 62 milhões de bebês em abortos no EUA

Ainda durante a corrida presidencial, grupos pró-vida nos EUA já afirmavam que Biden e Harris eram a "a chapa presidencial mais pró-aborto da história americana"
  • Por Redação
  • 23 jan, 2021

Nessa sexta-feira (22), o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e a vice-presidente, Kamala Harris, celebraram a decisão Roe vs. Wade, proferida pela Suprema Corte em 22 de janeiro de 1973, que, segundo o Life News, já resultou na morte de 62 milhões de bebês abortados nos EUA.

 A determinação da década de 70, revogou as leis pró-vida que ofereciam proteção para crianças em gestação na maioria dos estados do país, tornando aborto legal e cada vez mais abrangente em estados governados por políticos do Partido Democrata (esquerda nos EUA). 

No documento, Biden, que se diz católico, reforçou compromisso de nomear juízes da Suprema Corte comprometidos com a legalização do aborto nos Estados Unidos. O atual chefe da nação também prometeu combater os esforços estaduais que tentam dificultar abortos eletivos e tardios e trabalhar para que a Roe vs. Wade seja codificada em lei federal. 

"Hoje marca o 48º aniversário da decisão histórica da Suprema Corte dos EUA em Roe v. Wade.

Nos últimos quatro anos, a saúde reprodutiva, incluindo o direito de escolha, tem estado sob ataque implacável e extremo. Estamos profundamente empenhados em garantir que todos tenham acesso a cuidados - incluindo cuidados de saúde reprodutiva -independentemente de renda, raça, código postal, seguro saúde ou status de imigração.

A administração Biden-Harris está empenhada em codificar Roe v. Wade e nomear juízes que respeitem precedentes fundamentais como Roe.", diz o comunicado.

Ainda durante a corrida presidencial, grupos pró-vida nos EUA já afirmavam que Biden e Harris eram a "a chapa presidencial mais pró-aborto da história americana".