Ativista de esquerda, Débora Diniz acusa Bolsonaro de 'perseguição a pedófilos'

Débora, que é professora da Universidade de Brasília (UnB), é uma das defensoras da descriminalização do aborto até a 12ª semana de gestação (ADPF 442), ação ajuizada pelo PSOL no Supremo Tribunal Federal (STF)
  • Por Redação
  • 05 fev, 2021

Nessa quinta-feira (4), a ativista de esquerda Débora Diniz, que também é professora da Universidade de Brasília (UnB), publicou em seu perfil pessoal no Instagram ataques ao presidente Jair Bolsonaro e afirmou que uma das pautas prioritárias de Bolsonaro no Congresso Nacional é a "perseguição a pedófilos".

Débora também é uma das defensoras da descriminalização do aborto até a 12ª semana de gestação (ADPF 442), ação que foi ajuizada pelo PSOL no Supremo Tribunal Federal (STF). 

"A pauta prioritária de Bolsonaro no Congresso Nacional tem de arma em casa e na rua para mais gente; crianças em ensino domiciliar; perseguição a pedófilos; vantagens para agronegócios até perseguição aos povos indígenas", escreveu a ativista de esquerda. “A perversidade parece complexa, mas não é. Segue a mesma lógica paranoica [sic] do patriarca que amplifica o medo para justificar a truculência. Por isso armas e pedófilos estão na mesma agenda: o patriarca espalha o pânico para justificar seu abuso de poder. Inclusive de ser ele mesmo um violentador sexual de crianças ou mulheres".