Bispos católicos poderão impedir Biden de tomar a eucaristia, devido a sua defesa do aborto

"Eles precisam entender o escândalo que é causado quando dizem que são católicos fiéis e ainda se opõem à Igreja em um conceito tão básico", disse o arcebispo Salvatore Cordileone
  • Por Redação
  • 29 abr, 2021

O Comitê de Doutrina da Conferência dos Bispos Católicos dos Estados Unidos (USCCB) está trabalhando em um documento para impedir políticos que são pró-aborto, ou defendem publicamente os direitos ao aborto, de comungar, informou a Associated Press.

O documento, se aprovado, deixaria clara a visão da USCCB de que Biden e outras figuras públicas católicas com pontos de vista semelhantes não deveriam se apresentar para a comunhão, disse o arcebispo Joseph Naumann, presidente do Comitê de Atividades Pró-Vida da USCCB.

Mas, de acordo com a política em vigor na USCCB, ainda deixaria as decisões sobre reter ou não a "Comunhão" para os bispos individuais de cada "fiel".

O encontro nacional será realizado no mês de junho e será o primeiro encontro desde a posse do presidente democrata (esquerda nos EUA).

Como ele pode dizer que é um católico devoto e está fazendo essas coisas que são contrárias aos ensinamentos da igreja?”, afirmou Naumann.

"Eles precisam entender o escândalo que é causado quando dizem que são católicos fiéis e ainda se opõem à Igreja em um conceito tão básico", disse o arcebispo Salvatore Cordileone à AP.