VÍDEO: 'É necessário violência. A violência é revolucionária', dizem membros da Antifa que defendiam Dilma e são contra o capitalismo

"A gente busca a superação do capitalismo, a gente busca a superação do machismo, do sexismo, da lgbtfobia e do racismo.", afirmou um dos integrantes
  • Por Redação
  • 08 jun, 2020

(Imagem: Reprodução)

Em entrevista à CNN Brasil, um grupo organizado da Antifa confirmou o uso da violência para defender seus ideais. “Sem dúvida. Existe a necessidade da violência. A gente vive num país em que a gente tem taxa de homicídios exorbitante, extrapolante, então, é necessário. A violência ela faz parte do ser humano, faz parte da sociedade capitalista, o estado é violento com a gente, a polícia é violenta e por que não se utilizar da violência também?”, diz um dos integrantes. “Sem dúvida nenhuma é necessário violência. A violência é revolucionária. A gente se utiliza da  violência porque a gente tem amor pelos nossos, a gente tem amor pelo diferente, e é isso”.

A equipe de reportagem se encontrou com os membros do movimento em uma ocupação que fica no centro da capital paulista, que seria um ponto de encontro do grupo.

Segundo a CNN, os integrantes explicaram que a organização nasceu a partir de um grupo de amigos durante manifestações a favor da ex-presidente Dilma Rousseff, durante o período que culminou no impeachment da petista. 

"O antifascismo, ele busca a superação do capitalismo. A gente busca a superação do capitalismo, a gente busca a superação do machismo, do sexismo, da lgbtfobia e do racismo. a gente entende que essas estruturas de opressão que existem na nossa sociedade elas são estruturas de opressões fundamentadas na lógica capitalista. A gente entende que pra superar essas opressões a gente precisa superar o capitalismo.", disse o interlocutor do grupo