FHC, Luciano Huck, Boulos, Haddad, Alckimin e Ciro Gomes, se reúnem contra Bolsonaro em ato virtual

Durante o evento, Haddad defendeu o afastamento de Bolsonaro da presidência da República e a recuperação dos direitos políticos do ex-presidiário Lula
  • Por Redação
  • 27 jun, 2020

Nesta sexta-feira (27), políticos e personalidades se reuniram em ato virtual contra o presidente Jair Bolsonaro. O evento, que contou com vários representantes da esquerda e centro esquerda no país, foi organizado pelo grupo "Direitos Já".

Veja a lista de alguns dos políticos presentes:

  • Fernando Henrique Cardoso (PSDB)
  • Ciro Gomes (PDT)
  •  Marina Silva (Rede)
  • Fernando Haddad (PT)
  • Guilherme Boulos (PSOL)
  • Manuela D'Ávila (PCdoB)
  • Marcelo Freixo (PSOL)
  • Geraldo Alckimin (PSDB)

Algumas personalidades que marcaram presença:

  • O apresentador Luciano Huck
  • Os jornalistas Fernando Gabeira e Juca Kfouri
  • A filósofa Djamila Ribeiro
  • O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz
  • A ministra Carmen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF)
  • Os artistas Zélia Duncan, Petra Costa e Gilberto Gil

"Tudo está em risco no momento em que o presidente da República, que deveria unir o país em torno de um projeto, comete um crimes de responsabilidade semanalmente", disse o petista Fernando Haddad.

Haddad também defendeu o afastamento de Bolsonaro da presidência da República e a recuperação dos direitos políticos do ex-presidiário Lula.

"Acho que o momento é de união em torno da democracia e da Constituição. Estou disposto a dar a mão para todos aqueles que queiram abraçar a causa da liberdade e da democracia", afirmou FHC

Durante o evento, foi lançado um manifesto para defender o que para eles estaria em risco, a democracia brasileira. O texto do Direitos Já, prega a criação de um sistema para redução das desigualdades e para defesa de populações "marginalizadas e vulneráveis, como pobres, negros e LGBTQI+", informou o Globo.

Os ex-presidentes José Sarney e Michel Temer desistiram e retiraram os nomes da lista de confirmados.