VÍDEO: Organizadora de movimento de extrema esquerda pede a 'abolição dos Estados Unidos como o conhecemos'

Lilth Sinclair, que se auto definiu como uma organizadora "afro-indígena não binária", afirmou também que uma das pautas é abolir a polícia militarizada
  • Por Redação
  • 19 jul, 2020

Nessa sexta-feira (17), uma organizadora de distúrbios e manifestações de extrema esquerda na cidade de Portland, Estados Unidos, recebeu aplausos maciços após afirmar que a razão dos "protestos" é a "abolição dos Estados Unidos como a conhecemos". 

Lilth Sinclair, que se auto definiu como uma organizadora "afro-indígena não binária", afirmou também que uma das pautas é abolir a polícia militarizada do estado e que os EUA seria uma "terra roubada".

"Sou um afro-indígena, organizadora local não binária aqui em Portland, organizando a abolição não apenas do estado policial militarizado, mas também dos Estados Unidos como o conhecemos.", afirmou.

Durante uma entrevista publicada no mês passado, Sinclair falou sobre uma "revolta global contra estruturas opressivas". 

Após "comício", as tensões aumentaram e houve confronto entre os vandalos e a polícia de Portlad. Ativistas violentos portavam katanas (espadas samurais), lançaram fogos de artifício e detonaram bombas de fumaça perto do Departamento de Polícia da cidade. 

Enquanto a grande parte da mídia de viés mais à esquerda nos EUA, insiste em colocar os atos de movimentos de extrema esquerda como Antifa e Black Lives Matter como simplesmente protestos para acabar com a brutalidade policial, os conservadores afirmam que tudo não passa de uma clara agenda marxista.