'Ajoelhar-se ou usar uma camiseta do Black Lives Matter não anda de mãos dadas com o apoio a vidas negras', diz Jogador da NBA

O jogador cristão da NBA contrariou o movimento de extrema esquerda Black Lives Matter e recusou-se a se ajoelhar durante hino nacional americano. "Minha vida foi apoiada pelo evangelho, Jesus Cristo, todos são criados à imagem de Deus", disse Isaac
  • Por Redação
  • 01 ago, 2020

Nessa sexta-feira (31), o jogador do Olarlando Magic não seguiu a maioria e recusou-se a se ajoelhar durante o hino nacional dos Estados Unidos. Jonathan Isaac, que é ministro cristão ordenado, se tornou o primeiro jogador da NBA a rejeitar a manifestação do movimento de extrema esquerda Black Lives Matter nesta temporada. Ele também não estava usando a camisa do movimento, ao contrário dos outros jogadores do seu time. 

Após o jogo, em entrevista à imprensa, o jogador foi questionado sobre o ocorrido: 

"Você acredita que vidas negras são importantes?"

Ele respondeu:

"Absolutamente. Eu acredito que vidas negras importam. Muita coisa foi considerada na minha decisão ... ajoelhar-se ou usar uma camiseta do Black Lives Matter não anda de mãos dadas com o apoio a vidas negras ... Eu acredito que vidas negras importam, mas eu senti que era uma decisão que eu tinha que fazer, e eu não senti que vestir a camisa e ajoelhar andava de mãos dadas com o apoio à vida negra.

Minha vida foi apoiada pelo evangelho, Jesus Cristo, todos são criados à imagem de Deus e todos nós deixamos de lado a glória de Deus, e que todos e cada um de nós todos os dias fazemos coisas que não devemos, dizemos coisas que não devemos dizer, odiamos e não gostamos de pessoas que não devemos odiar e não gostar, e às vezes chega a um ponto em que apontamos dedos sobre quem é o mal pior e, às vezes, simplesmente cujo mal é mais visível ”, continuou Isaac.

Eu senti que queria apenas me posicionar sobre isso. [Eu sinto que] todos nós cometemos erros, mas acho que o evangelho de Jesus Cristo é que há graça para nós, e que Jesus veio e morreu por nossos pecados, e que todos vamos entender isso e entender que Deus quer ter um relacionamento conosco, que possamos superar a cor da pele, nós podemos superar todas as coisas em nosso mundo que estão bagunçadas, levantadas ”, acrescenta. "Acho que quando você olha em volta, o racismo não é a única coisa que aflige nossa sociedade, que atormenta nossa nação, que atormenta nosso mundo. Sinto vontade de me unir a essa mensagem, de que queremos superar não apenas o racismo, mas tudo o que nos atormenta como sociedade, sinto que a resposta é o evangelho.

Questionado sobre a correlação entre ajoelhar-se pelo hino e religião, Isaac respondeu:

 "Eu realmente não vejo isso como religião para mim; Eu vejo isso como um relacionamento com Deus ... não acho que ajoelhar ou vestir uma camiseta, para mim, pessoalmente, seja a resposta. Sinto que, para mim, vidas negras são apoiadas pelo evangelho. Todas as vidas são apoiadas pelo evangelho. Que todos nós, como eu disse, temos coisas que fazemos de errado ... todos ficamos aquém da glória de Deus e, no final do dia, quem se humilhar e ver Deus e se arrepender de seus pecados, poderá vê-lo sob uma luz diferente ... ver o mal das pessoas sob uma luz diferente ... ajudaria a nos aproximar e superar a cor da pele, superar tudo o que estiver na superfície que realmente não lide com o coração de homens e mulheres.