Facebook obedece Moraes: 'ordem extrema, representando riscos à liberdade de expressão fora da jurisdição brasileira'

A rede social afirmou não teve alternativa, mas que irá recorrer. Disse também que a decisão do ministro do STF entra em "conflito com leis e jurisdições ao redor do mundo"
  • Por Redação
  • 01 ago, 2020

O Facebook vai estender a censura em nível mundial dos perfis de jornalistas e pessoas ligadas à direita que foram alvos do inquérito que investiga supostas fake news.

A decisão acontece um dia depois do ministro do STF Alexandre de Moraes aumentar o valor da multa diária caso a empresa deixe de cumprir a determinação imposta pelo magistrado. 

A rede social afirmou que irá cumprir a ordem por não ter alternativa, mas que irá recorrer.

O Facebook havia cumprido com a ordem de bloquear as contas no Brasil ao restringir a visualização das Páginas e Perfis a partir de endereços IP no país. Isso significa que pessoas com endereço IP no Brasil não conseguiam ver os conteúdos mesmo que os alvos da ordem judicial tivessem alterado sua localização IP. A mais recente ordem judicial é extrema, representando riscos à liberdade de expressão fora da jurisdição brasileira e em conflito com leis e jurisdições ao redor do mundo. Devido à ameaça de responsabilização criminal de um funcionário do Facebook Brasil, não tivemos alternativa a não ser cumprir com a ordem de bloqueio global das contas enquanto recorremos ao STF”, disse o Facebook em nota.