VÍDEO: Proibidos pelo governador de frequentar a igreja, cristãos realizam culto de adoração no Walmart nos EUA

Um vídeo de um culto de adoração acontecendo dentro de um supermercado, viralizou na internet. Os fiéis se reuniram no local, pois as igrejas foram proibidas de abrirem por não serem "essenciais"
  • Por Redação
  • 08 ago, 2020

Imagens que mostram cristãos reunidos nos corredores de um supermercado do Walmart nos Estados Unidos viralizaram nos últimos dias. O vídeo, que foi gravado em 26 de junho, foi uma maneira dos religiosos adorarem ao seu Deus "superando" as restrições impostas pelo governador do partido Democrata (esquerda nos EUA) do estado da Pensilvânia, que, diferente da igreja, considerou o Walmart uma atividade "essencial".

O ato ocorreu quase três meses depois que o governador Tom Wolf, em 3 de abril, ter considerado as igrejas entre as atividades não essenciais. Wolf pediu aos líderes religiosos que "considerassem formas alternativas de adoração" por causa do coronavírus. "Os indivíduos não devem se reunir em edifícios religiosos ou casas para serviços ou celebrações até que a ordem de permanência em casa seja suspensa.", afirmou o governador.

"O vídeo do Walmart não é apenas bonito por todos os motivos óbvios, mas também aponta a hipocrisia e o preconceito anti-religioso desses bloqueios e diretrizes seletivos", afirmou John Nolte no Breitbart News. "Eu acho que a ciência por trás desse pensamento deve ser a mesma ciência que explica por que uma manifestação de Trump é mortal, mas uma revolta de Black Lives Matter / Antifa é totalmente segura."

"Apenas tente compreender o fato de que um dos principais partidos políticos da América - os Democratas, bem como a mídia corporativa, quer fechar nossa igreja, mas proteger as clínicas de aborto e os dispensários de maconha como 'essenciais'. Eles querem proteger o direito de reunir para pilhar, tumultuar e queimar, mesmo quando usam o poder fascista do Estado para nos privar de nosso direito da Primeira Emenda de nos reunirmos e adorar.", completou.